Uso Combinado do Bi-Digital O-Ring Test e Plasma rico em plaquetas

Resumo do Trabalho Apresentado pela Dra. Lucianna Auxi Costa no III Simpósio Médico Brasileiro sobre o Bi-Digital O-Ring Test

Uso Combinado do Bi-Digital O-Ring Test e Plasma rico em plaquetas

Lucianna Auxi Costa, M.D.; Infectologista com Prática Ortomolecular

Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

 

O Plasma Rico em Plaquetas (PRP) é uma técnica experimental bastante utilizada    recentemente em diversas áreas tais como odontologia, medicina veterinária e medicina geral com a função de regeneração tecidual. Existem vários tipos de técnicas, com vários níveis de complexidades até centrífugas próprias de confecção do Gel de PRP que é conhecido na literatura como Plasma Rico em Matriz Fibrinóide que serviria nas áreas de Medicina Estética, Cirurgia Bucomaxilofacial, Otorrinolaringologia e Ortopedia como bases de sustentação de formação e multiplicação de fibroblastos até matriz conectiva.  O PRP provém das plaquetas que são células anucleadas, derivadas dos megacariócitos que por sua vez são oriundos da Medula Óssea, circulam por cerca de 7-10 dias quando são retiradas da corrente sanguínea pelos macrófagos hepáticos e por células do baço para que se mantenha a homeostase. Além da participação da cascata de coagulação, as plaquetas ganharam interesse devido `a descoberta que os fatores de crescimento (FC) presentes nos Grânulos Alfa poderiam ser importantes mediadores nos processos químicos de diferenciação das células mesenquimais teciduais. Além dos Grânulos Alfa, temos os Grânulos Densos que contém serotonina, adenosina difosfato e cálcio.

Neste trabalho, adotamos a retirada de 20 ml de sangue periférico, colhidos em tubos com Citrato de sódio que foi centrifugado por duas horas para  separar as plaquetas. O volume destas  plaquetas que foram re-introduzidas no paciente  foi determinado através  do  Bi-Digital Oring Test - BDORT – fenomeno de ressonância eletromagnética entre duas substâncias idênticas.

O objetivo deste estudo  é o de avaliar a dose adequada (DA) do PRP. 

Foi também medido virtualmente a quantidade do Telômero em unidades BDORT dos pacientes após estímulo do ponto de Acupuntura Estômago 36 Verdadeiro sem e com a DA do PRP.

Foram  selecionados nove (9) pacientes, todos do sexo feminino, com idade entre 14 a 70 anos, que após o consentimento informado e assinado se submeteram à técnica. Quase todas faziam protocolos Ortomoleculares de Antioxidação e Modulação Hormonal Bioidêntica. Uma mulher (14 anos) negou-se a realizar o –Ring Tests, e por esta razão não conseguiu-se a medida dos Telômeros.  

O  E36V foi localizado e estimulado;  localizado a área do Timo para mensuração da DA;  medida do Telômero da célula normal em membro superior esquerdo e medida virtual de Telômero em unidades BDORT com a DA do PRP retirado da paciente.

Os resultados encontrados foram:

a) Variação do Telômero da célula normal entre 200-800 ng unidades BDORT. 

b) A dose adequada encontrada variou entre 1 a 2 ml

 c) Houve um aumento do Telômero virtual quando testado com a DA.  Uma importante observação se faz aqui, pois a dose prática geralmente do PRP em clínicas e observações é acima deste valor (acima de 3ml). Três  pacientes demonstraram um comportamento diferente do grupo, seja por dosagem baixa do telômero inicial ( 2,5 ng), seja por aumento fora dos padrões ( duas com telômeros acima de 1000).

Em conclusão, com o advento da Medicina Regenerativa, a forma de ver e tratar  um paciente mudou. Hoje lesões são mais rápidas e fáceis de solucionar, pois temos em nosso próprio corpo um arsenal muito poderoso de regeneração. Apesar disso, estudos mostram ainda resultados controversos com as técnicas do PRP e Céulas-tronco. Em nosso estudo, a união da técnica do Bi-Digital O-Ring Test  com o PRP ajudou na escolha de uma dose adequada, que variou de 1 a 2 ml, visto que na literatura corrente encontramos uma gama muito variada de doses. Ainda, levantamos a questão de talvez, escolher o melhor paciente para ser realizada a técnica, visto que alguns já apresentam dosagem muito alta de telômero antes e após. Os resultados nos levam a pensar também se um screening mais aprofundado com medidas de Oncogen c-fos ab2  e Integrina α5β1 não seriam necessários, bem como metais tóxicos e microorganismos. Resumindo, o PRP se mostra como ferramente importante no trabalho do médico integral, porém uma boa avaliação com a técnica do O-Ring deve ser recomendada para evitar possíveis efeitos indesejáveis mitóricos a longo prazo.

Bibliografia

Omura,Y., Practice of Bi-Digital O-Ring Test. Ido-no-Nihon-sha, Tokyo and Yokozuka, Japan, 1986.

Omura, Y., Electro-magnetic Resonance Phenomenon as a Possible mechanism Related to the Bi-Digital O-Ring Test Molecular Identification and Localization Method. Acupuncture&Electro-Therapeutics Res., Int. J., Vol 11, N° 2, pp127-145, 1986.

Omura Y.  “Meridian-like networks of internal organs, corresponding to Traditional Chinese 12 main meridians and their acupuncture point as detected by the “Bi-Digital O-Ring Test imaging method”: search for the corresponding  internal organ of western medicine for each meridian Acupuncture & Electro-therapeutics Res. Int.J., vol12, pp 53-70, 1987

Kon E, et al. Platelet-rich plasma: New clinical application. Injury 40 (2009), 598- 603.

Kashiwagi K, et al.Effects of transforming growth factor-beta 1 on the early stages of healing of the Achilles tendon in a rat model. Scan J Plast Recons Surg Hand Surg 2004; 38-193-7.

Alderman D, et al. Advances in regenerative medicine: High- density platelet-rich plasma and Stem Cell Prolotherapy for musculoskeletal pain. Practical Pain Management, 2011; 49-64.

Crane D,et al. Platelet rich-plasma (PRP) matrix grafts. Practical Pain Management, 2008.

Saddati KS,et al.PRP utilized to promote great graft volume retention in autologus fat grafting. The American J of Cosm Surgery vol 23, n.04, 2006.

Sacchi MC, et al. Platelet gel as a new routine method to improve wound healing and regeneration. Transfusion Med, 2000; 10:325.

Abuzzeni PZ, et al.Enhacement of autologus fat transplantation with platelet rich-plasma. The American J of Cosmetic Surgery. Vol 18, n. 2, 2001.

Reeder GD, et al. Perioperative autologus sequestration I: Physiology, phenomena and art. Proceeding of the American Academy of Cardiovascular Perfusion; Jan 22-25, 1993.

Lucarelli E, et al. A recently developed bifacial platelet plasma rich fibrin matrix. European cells and materials vol. 20, 2010; 13-23.

Scalfani AP, et al. Applications of platelet-rich fibrin matrix in facial plastic surgery. Facial Plast Surg 2009; 25: 270-276.

Scalfani AP, et al. Induction of dermal collagenesis, angiogenesis and adipogenesis in a human skin by injection of platelet-rich fibrin matrix. Arch Facial Plast Surg 2012; 14 (2): 132-136.

Kakudo N, et al. Proliferation-promotion effect of platelet-rich plasma on human adipose derived stem cell and human dermal fibroblast. Plast Reconstruct Surg 2008; 122 (5): 1352-1360.

Zapata MJM, et al. Efficacy and safety of the use of autologus plasma rich in platelets for tissue regeneration: A systematic revision. Transfusion, vol 49, Jan 2009.

Araki J, et al. Optimizal preparation method of platelet concentrated plasma and noncoagulating platelet plasma derived factor maximization of platelet concentration and removal fibrinogen. Tissue Engineering, vol 18, n. 3, 2012.

Burnouf T, et al. Antimicrobial activity of platelet (PLT), Plasma-rich platelet, PLT and gel. Transfusion, vol. 53, Jan 2013.